Nesse texto Rothbard dá a aula de história que os professores de colégio e universidades brasileiras não lhe conferirão o privilégio de assistir!

Rothbard explica claramente como o pensamento libertário (o termo em conotação norte-americana, utilizado por Rothbard, significaria no Brasil algo como um liberal radical ou anarco-liberal) sempre foi parte da ?esquerda?, ou seja, contrário ao status quo vigente, e anti-estatal.

Procede mostrando como períodos onde houve um crescimento da intromissão governamental em nossas vidas, mesmo esta mascarada como ?em defesa da opinião popular? e ?defensora da igualdade?, foram na verdade períodos de consolidação do poder de uma minoria, se utilizando do aparato e ideologia estatista.

Noutro momento importante, identifica as razões pela qual a tradição libertária se tornou conservadora: a defesa do utilitarismo e a aliança com os conservadores contra o Socialismo de Estado, abandonando a fórmula de pessimismo à curto prazo e otimismo à longo prazo pelo oposto, otimismo à curto prazo, focando mais ações políticas, quase sempre ineficazes, e pessimismo à longo, fazendo com que o pensamento perdesse seu radicalismo.


Anarquia Cotidiana

Stefan Molyneux

Clique aqui para ler

As Engrenagens da Liberdade

David D. Friedman

Clique aqui para ler

Teoria do Caos

Robert P. Murphy

Clique aqui para ler

Vícios não são crimes

Lysander Spooner

Clique aqui para ler