Publicado em 8 de julho de 2012 | por James Otteson

Adam Smith e as loucuras do planejamento central

O que você acha de ser mandado o que fazer? Se alguém lhe diz para fazer algo que você acha agradável, você pode não se importar. E se te mandassem fazer algo que você não decidiria fazer por conta própria? E se quem estiver mandando for o governo? Adam Smith, o filósofo e pai da economia, fala a respeito do “homem do sistema”, um planejador central que acredita poder orquestrar a vida dos outros, como peças de xadrez que ele pode mover a vontade.

Como o professor James R. Otteson ilustra, a sociedade sofre quando o homem do sistema tenta impor seus desejos sobre os indivíduos contra suas vontades. De acordo com Smith, pessoas não são peças de xadrez que podem ser movidas em um tabuleiro; eles são seres vivos e pensantes que possuem suas próprias vontades. Indivíduos buscando seus próprios desejos irão sempre entrar em conflito com qualquer planejador central.

Transcrição e revisão de Edmilson Frank.
Tradução de Fabrício Akio.
Sincronização de Juliano Torres.

Original

Portal Libertarianismo: “Evoluindo Ideias e Indivíduos.”


Sobre o autor

James Otteson

Dr. James R. Otteson se graduou na Universidade de Notre Drame e conquistou o seu doutrado na Universidade de Chicago. É especialista em história da filosofia moderna, filosofia política, e a história da filosofia econômica.



Voltar ao Topo ↑