Justin Amash

Publicado em 2 de abril de 2014 | por Natasha Petrova

Não somos conservadores

A identificação de libertários com conservadores parece nunca acabar. Na recente conferência do International Students for Liberty, Justin Amash igualou os dois. Muitos esquerdistas fazem o mesmo, com a intenção de demonizar os libertários como direitistas. E quais são os fatos? Nós definitivamente não somos conservadores. Liberdade é uma ideia radical e revolucionária. Uma ideia cuja promessa ainda está por ser completamente concluída.

Vamos fazer uma comparação, item por item, do conservadorismo e do libertarianismo.

1) O Estado de guerra é um assunto onde há grande divergência entre conservadores e libertários. Nós buscamos eliminar a guerra e abolir os estados-nações. Conservadores geralmente buscam manter ambos, como o histórico de presidentes republicanos em guerras demonstra. A lealdade a noções tradicionais de família, deus e pátria supera a lealdade a direitos individuais para muitos conservadores. Libertários não são limitados por tal perspectiva.

2) A guerra às drogas e o policiamento moral é outra área onde conservadores e libertários se opõem. Libertários buscam acabar com a perseguição a dissidentes culturais, enquanto muitos conservadores buscam mantê-la em nome dos valores tradicionais. Liberdade exige variedade e experimentação. Conservadores exigem uniformidade e conformismo.

3) A preservação do Estado em si é outro item onde conservadores e libertários radicais geralmente estão em lados opostos. Conservadores, em sua maioria, são limitados pelo seu respeito à autoridade e pelo tradicionalismo. O Estado representa o guardião da lei e da ordem para muitos conservadores. Libertários veem isso como destrutivo a liberdade em todas as suas expressões. O Estado não é um instrumento necessário para a realização de uma ordem ou lei beneficente.

4) A questão das liberdades civis com frequência também deixa libertários e conservadores separados. Conservadores são mais propensos a renunciar liberdades civis quando o patriotismo ou o nacionalismo é invocado. Libertários não acreditam nessa tolice e não sacrificariam nem um pouco de seu direito individual no altar do estatismo. A administração Bush é prova o suficiente disso tudo.

5) O último ponto de discrepância entre libertários de esquerda e conservadores está na natureza de suas propostas econômicas. Libertários de esquerda buscam um mundo sem chefes ou corporações. Conservadores geralmente fetichizam hierarquias tradicionais e portanto não podem querer o mesmo. Conservadores têm maior propensão a celebrar os atuais agentes econômicos que estão por cima enquanto libertários de esquerda defendem quem está por baixo.

Espero que o leitor tenha se convencido da grande diferença entre libertários de esquerda e conservadores. Essas são duas ideologias totalmente diferentes com metas mutuamente incompatíveis.

// Tradução de Gabriel Felippi. Revisão de Vinicius Freire. | Artigo Original 


Sobre o autor



Voltar ao Topo ↑