Após esconder por 72 anos o seu amor casal enfim pode se casar

Publicado em 23 de janeiro de 2015 | por Ivanildo Terceiro

Casal que teve que esconder o seu amor por 72 anos, enfim pode se casar

Vivian Boyack e Nonie Dubes se conheceram em 1942, nas planícies ensolaradas de Iowa (Iowa tem planícies ensolaradas? A wikipédia realmente não me ajudou nesse ponto. Fica aí a lição de casa.), se era difícil manter um casamento hétero entre duas que pessoas que tivessem cores diferentes naquela época, imagine então para essas duas mulheres que decidiram que o seu amor era maior que qualquer pedaço de papel e passaram a viver como um casal. A pressão social, e, sobretudo, a pressão feita pelo estado que proibia relações e casamentos homossexuais fez com que elas passassem 72 anos vivendo juntas, se amando, mas tendo que fingir para o resto da sociedade que eram apenas duas pessoas que há décadas dividiam a mesma casa por comodidade e companheirismo, não por amor.

Em 2009, uma decisão da Suprema Corte do Estado fez com que Iowa se tornasse o quarto estado a legalizar o casamento gay. Mas àquela altura Boyack e Dubes já não viam um casamento como algo tão central em suas vidas, há décadas fingiam que eram apenas boas amigas para toda a sua comunidade e estavam decididas a continuarem assim, até Jerry Yeast, um amigo do casal, fazer uma visita. Descompromissadamente as duas mulheres contaram a Yeast que eram bem mais que boas amigas, e que ele era a primeira pessoa a saber disso.

Depois de recuperar o seu queixo no chão, Jerry passou a conversar com as duas sobre a possibilidade de um casamento. Primeiro receosas, e após muita deliberação, elas decidiram dar mais um passo na relação.

Convidaram trinta amigos para a igreja local, posicionaram suas cadeiras de rodas uma do lado da outra,  trocaram votos, e tiveram sua relação abençoada pela Reverendo Linda Hunsaker:

Casal se casa após 72 anos

O que Boyack tem a dizer sobre tudo isso? “A única diferença é que agora nós sabemos que é algo legal e ninguém pode fazer nada sobre isso”.

Essa linda história devia nos ensinar algo. Enquanto o estado se arrogar no direito de controlar todas as relações sobre sua jurisdição, ele não deveria ter o direito de discriminar o amor que adultos voluntariamente decidiram se engajar.

(vimos no facebook do Steven Horwitz)


Sobre o autor

Ivanildo Terceiro

#estagiário e moleque insolente do Portal Libertarianismo



Voltar ao Topo ↑