polio

Publicado em 30 de dezembro de 2014 | por Bill Gates

Boas notícias que você pode ter perdido em 2014

Ao final do ano de 2013, compilei algo um tanto particular: uma lista de algumas boas notícias que você pode ter perdido. Eu pensei que era uma atitude bacana para finalizar o ano, e as pessoas parecem gostar de ler sobre isso, as coisas boas. Nesse ano, pensei em fazer o mesmo.

É claro, não podemos ignorar o fato de que têm sido um ano turbulento, tanto nos Estados Unidos como nos outros países. Mas vale a pena tirar um momento para celebrar as boas notícias também. Mais crianças estão sobrevivendo, e estamos combatendo de forma paulatina as doenças mais mortais do mundo. Essas são algumas das formas principais de medir o progresso do mundo – e por essa medida, 2014 foi definitivamente outro ano bom.

1 – Mais aniversários de 5 anos que antes.

Para mim, uma das melhores formas para medir o progresso é analisar quantas crianças estão morrendo de causas evitáveis. E hoje, mais crianças estão vivendo para comemorar o seu 5º aniversário. Nesse ano, seguindo a tendência dos últimos 42 anos, a mortalidade infantil vem caindo. E não é somente uma tendência positiva, mas a taxa vem caindo mais rápido que o esperado. A revista The Economist publicou uma reportagem sobre isso em setembro, onde estimou que desde 2011 foram salvas 13,6 milhões de vidas. É difícil pensar em um sinal melhor de que as coisas estão melhorando.

2 – Nós atingimos um marco fundamental no combate à AIDS.

Um trabalho impressionante tem sido feito no tratamento de pessoas com AIDS. Contudo, por muitos anos, estávamos ficando para trás, pois o número de novos contaminados aumentava mais que os que começavam a receber tratamento. Não mais, todavia. Novas estatísticas divulgadas nesse mês mostram que 2013 foi o primeiro ano que essa conta se inverteu, isto é, o número de contaminados foi inferior ao número de pessoas que começaram a receber tratamento. Por que isso importa? Pois o tratamento não somente mantem somente as pessoas vivas, mas também reduz drasticamente as chances de que o vírus será transmitido a outro indivíduo. Como os epidemiologistas dizem, podemos começar a inverter a tendência da doença. Ainda há muito a fazer antes que possamos declarar o fim da AIDS, mas esse é um marco indubitavelmente importante.

3 – A vacinação infantil contra o Rotavírus está crescendo

Quando li um artigo no final dos anos 1990 que mencionava uma doença diarreica chamada rotavírus – que matava centenas de milhares de crianças ao ano – não acreditei que nunca me inteirado do assunto. Mas o rotavírus não recebe muita atenção da imprensa, já que quase nunca é mortal em países ricos – e o mundo tende a ignorar doenças que somente afetam as pessoas mais pobres do mundo. De várias formas, o rotavírus foi um catalizador para o meu comprometimento à saúde global – na verdade, uma das primeiras doações da Fundação Bill & Melinda Gates se dirigiu aos esforços contra o rotavírus.

Desde então, o número de crianças que morreram dessa doença caiu pela metade graças a uma vacina barata e efetiva. E hoje, aquela vacina está sendo aplicada em mais e mais crianças. Por exemplo, na Índia, onde o rotavirus mata cerca de 80000 crianças por ano, o governo decidiu nesse ano aplicar a vacina de forma gratuita em todas as crianças pobres. E os fabricantes já estão trabalhando em vacinas mais baratas que poderiam alcançar ainda mais crianças no futuro.

4 – Um avanço no tratamento da tuberculose – finalmente

O mundo está muito atrasado no que tange ao tratamento da tuberculose. Ela é uma das principais causas de morte no mundo, e o tratamento existente é inadequado – especialmente para formas resistentes da doença. Avanços no tratamento, porém, tem estado paralisados por décadas. Então, é uma grande coisa que, no inicio desse ano, cientistas anunciaram que um novo tratamento se provou efetivo na primeira fase da pesquisa. De agora em diante, o programa de tratamento com essa droga passará por um amplo teste clínico para confirmar os resultados. Se esse novo tratamento for aprovado, poderá reduzir drasticamente o tempo necessário para curar os tipos de tuberculose resistentes a drogas, poupando bilhões de dólares em custos de saúde de parte dos países pobres.

5 – A luta da Nigéria contra a poliomielite ajudou na luta contra o Ebola

Nesse ano, grande parte da cobertura da mídia sobre a Nigéria focou em duas coisas: Ebola e terrorismo. Ambas são assustadoras, e mascaram o fato que, do ponto de vista de saúde global, a Nigéria teve um ano muito bom. Embora seja um dos três países que nunca se livraram totalmente da pólio (Paquistão e Afeganistão são os outros dois), eu acho que não ficará nessa lista por muito tempo. A Nigéria reportou somente 6 casos de pólio no ano de 2014, comparado a mais de 50, em 2013. E mais, a infraestrutura criada pela Nigéria na luta contra a pólio acabou por facilitar a contenção da potencial epidemia de Ebola. O fato que a Nigéria está agora livre do Ebola é um grande exemplo de como a luta contra outras doenças como a pólio também deixa os países mais bem preparados para lidar com epidemias de outras doenças.

 

// Notícia traduzida por Matheus Pacini e revisada por Russ da Silva.

Link para a notícia em inglês.


Sobre o autor

Bill Gates

Bill Gates é o fundador e ex-CEO da Microsoft.



Voltar ao Topo ↑