bitcoin algemas

Publicado em 2 de junho de 2014 | por Contrepoints

O Bitcoin é um esquema de pirâmide?

Há alguns anos, antes que o vocabulário vindo do norte se impusesse, as pessoas preferiam chamar de “pirâmide financeira” o que hoje chamam de “esquema Ponzi”. A astúcia consiste em usar o dinheiro dos novos investidores pra oferecer um retorno atrativo àqueles que lhes confiaram seu capital enquanto os iniciadores do esquema se apropriam desse capital. O segredo é desaparecer com o caixa antes que os investidores exijam reembolso, no momento em que as novas adesões ao esquema já não são suficientes pra pagar os rendimentos.

Alguns afirmam que o bitcoin seria uma pirâmide financeira, geralmente argumentando que os primeiros bitcoins não custaram quase nada aos fundadores do sistema que possuem um grande montante, enquanto os compradores atuais pagam caro por um valor que é na verdade arbitrário. Entretanto, o bitcoin não possui os atributos que caracterizam uma pirâmide financeira:

  • Não existe a utilização dos aportes de novos investidores para manter nos antigos a ilusão da integridade de seu capital.  A maioria dos veteranos da criptomoeda parecem estar guardando seus bitcoins embaixo do colchão – no final de 2012, 78% dos bitcoins estavam em contas das quais jamais haviam saído – mas se eles os trocam, assim o fazem através de transações justas nas quais abrem mão de seu bem pelo valor de mercado. Além disso, nada diferencia o bitcoin de um “fundador” do bitcoin minerado um minuto atrás.
  • Charles Ponzi utilizava um argumento baseado no senso comum, o qual tinha um princípio bastante óbvio mas que na prática se tornava irrealizável, pra poder convencer os poupadores a lhe confiar seu dinheiro: ele comprava na Itália cupons postais internacionais de resposta, válidos em todo lugar, a um quinto do seu valor de face nos Estados Unidos. Bastaria que uma de suas vítimas tentasse reembolsar o cupom nos Estados Unidos pra perceber que as coisas não eram assim tão simples… O bitcoin é exatamente o inverso. Um sistema que apenas especialistas em criptografia podem compreender a princípio, mas que qualquer um pode desfrutar sem precisar gastar muito, seja pagando sua conta em um bar ou comprando alguma mercadoria online.
  • Bernard Madoff dispunha de uma falsa sala de negócios que ele mostrava a seus clientes pra lhes convencer. Toda trapaça (e as pirâmides financeiras não escapam dessa regra) se baseia na dissimulação da verdadeira natureza do sistema. Mas pela sua própria natureza um tal segredo é impossível no caso do bitcoin, onde a totalidade de suas especificações e a sua implementação são de domínio público. Antes de comprar bitcoins, cada um pode verificar que não há nada escondido pra lhe prejudicar mas que, se ainda assim não estiver convencido, ninguém lhe obrigará a utilizar o bitcon como meio de pagamento.

É possível notar que as moedas fiduciárias não passam com tanta facilidade nesses critérios.

Imagine que em 1967, Berny Wagner, treinador de atletismo da Universidade de Oregon, tenha ido a uma casa de apostas pra apostar um grande montante que seu pupilo, Dick Fosbury, quinto no ranking universitário dos Estados Unidos com uma técnica pouco ortodoxa, será campeão olímpico no ano seguinte, considerando as vantagens que o treinador reconhece em sua técnica. O retorno sobre essa aposta seria enorme. Mas à medida que Fosbury se torna campeão indoor em 1968, se qualifica pros jogos olímpicos e em seguida pras finais, o retorno sobre a aposta se torna menor. No México, quando Fosbury levou o título olímpico, Berny Wagner teria ganho o jackpot e todos aqueles que apostaram contra que pagariam seu prêmio. Por outro lado, aqueles que apostaram tarde demais também poderiam se sentir frustrados, como se estivessem sido parte de uma pirâmide financeira, porque o retorno de Wagner foi milhares de vezes maior que o deles. Mas quando alguém faz uma aposta, esse alguém assume a responsabilidade, conhece os riscos, os atletas e é livre pra escolher.

Suponhamos agora de maneira análoga que um treinador basco tenha ido apostar em 1955 em um atleta de 40 anos, desconhecido no atletismo, para a prova de lançamento de dardos nos jogos de Melbourne. No começo de 1956, Félix Eurasquin quebra o recorde mundial com um lançamento utilizando a técnica “barra vasca”. O rendimento da aposta reduz bastante. Em seguida a federação mudou o regulamento, proibindo o “lançamento à espanhola”. Nos jogos de Melbourne, a aposta já não valeria mais nada.

Ninguém tem como saber se o bitcoin será um sucesso como Fosbury ou um fracasso como Eurasquin.  Entretanto é certo que, ao permitir aos indivíduos fazerem suas próprias escolhas com plena informação, o bitcoin está muito longe de ser um esquema de pirâmide.

// Tradução de Leonardo Tavares Brown. | Artigo Original


Sobre o autor

Contrepoints

Um site libertário na França? Sim, isso é possível.



Voltar ao Topo ↑