Esquerda Libertária patente1

Publicado em 2 de janeiro de 2014 | por Rodrigo Viana

Acabem com as patentes!

No século dezenove, o teórico político e anarquista individualista Benjamin Tucker percebeu que as estruturas que mantinham privilégios, para indivíduos e grupos com conexões políticas, se apoiavam em certas intervenções governamentais chaves. Estas intervenções foram chamadas por ele de Os 4 Grandes Monopólios. Dentre uma delas, o “monopólio da patente”.

Ferrenho defensor da economia livre radical, Tucker dizia que as patentes diminuíam a competição natural para o bom funcionamento dos mercados. Além do fato de relativizar a autonomia do uso daquilo que estava sob a posse legítima das pessoas.

Com um mercado deformado pelo governo, as indústrias cresceriam de forma escandalosa e fraudulenta, pois estariam sob proteção de burocratas através de leis e regulamentações. Como consequência, a livre iniciativa, materializada por trabalhadores autônomos e pequenos produtores, estaria à mercê das corporações e dos reguladores. Outro grande prejudicado? O pobre, pois os preços tenderiam a crescer também.

Vejamos então o que diz parte dessa matéria da Folha de São Paulo:

Pioneiro da tecnologia das cápsulas de café, a Nespresso, da Nestlé, luta para sobreviver em meio ao crescimento de concorrentes mais baratas, segundo reportagem do “Financial Times”.(…)

O problema é que, com a queda de uma série de patentes, outras marcas mais baratas estão implementando o sistema. Segundo analistas, isso pode levar a uma redução de preços da própria Nespresso no longo prazo…

Após longos anos, devemos reconhecer. É, Tucker. De fato, você esteve certo durante todo esse tempo.



Sobre o autor

Rodrigo Viana

Rodrigo Viana é um anarquista individualista, escreve para o blog Mercado Popular e mantém os blogs A Esquerda Libertária e Libversiva!. Polêmico, não perde uma oportunidade de ver um bom quebra-pau no melhor estilo "Alborghetti". Seu twitter é @VDigo.



Voltar ao Topo ↑