Esquerda Libertária 20130613_circuitdetail

Publicado em 26 de março de 2014 | por Tomasz Kaye

O triunvirato tecnológico do agorismo

Na Turquia, uma grande e espontânea revolta está sendo combatida com brutalidade pelas forças estatais. Às vezes, tal brutalidade ocorre quando aqueles que participam dessas revoltas não podem se comunicar ou interagir - seja para organizar ou subverter o poder estatal - de forma eficiente.

O que as pessoas que querem se livrar da opressão estatal devem fazer? Eles podem abraçar a contra-economia do agorismo. Os agoristas acreditam que a filosofia libertária se manifesta no mundo real por meio do “estudo e/ou prática de todas as ações humanas pacíficas que são proibidas pelo estado”. Praticar a contra-economia significa, até onde você conseguir, tirar vantagem das restrições que o estado impõe nas suas atividades pacíficas. Ao buscar formas de fazê-lo, você está ajudando a criar a estrutura de uma nova sociedade dentro da antiga.

Os manifestantes em Istambul já estão praticando o agorismo quando se organizam para ajudar uns aos outros a resistirem abertamente às ordens da polícia. E esse impulso não precisa necessariamente diminuir quando a energia das ruas se dissipar e as bombas de gás lacrimogênio forem lavadas de seus olhos.

Talvez as bases mais importantes para o sucesso do agorismo sejam as ferramentas e técnicas de comunicação e comércio fora do alcance do estado. Recentemente, os Cypherpunks criaram tecnologias que aproximam o ideal crypto-anarquista da realidade.

Bitcoin

Você deve ter ouvido falar sobre o Bitcoin, que é a crypto-moeda mais consolidada e popular atualmente.  O Bitcoin é descentralizado, não pode ser inflacionado, é muito difícil de controlar, e pode ser transferido para qualquer parte do mundo praticamente sem custo. E embora o Bitcoin seja um pseudanônimo por definição, com as devidas precauções (ou se a extensão Zerocoin for instalada), ele pode ser usado de forma completamente anônima.

Governos, bancos e companhias de cartão de crédito devem estar preocupadas com o Bitcoin. Ele tem o potencial de evidenciar as restrições ao comércio pacífico criadas pelo estado e seus aliados. Assim, o Bitcoin tem o potencial de aumentar dramaticamente o livre comércio. Mas e o que dizer da comunicação?

Bitmessage

Um usuário no nascente subreddit destinado ao aplicativo diz que “Os protestos na Turquia são o teste perfeito para o Bitmessage”. Um dos problemas com a maioria dos provedores de e-mail é que eles centralizam a informação, . Todos os e-mails dos usuários do Gmail são guardados nos servidores da Google, por exemplo. Isso pode não parecer um problema se confiarmos no slogan “Don´t be Evil” da Google. Mas mesmo se a Google fosse exclusivamente composto de anjos incorruptíveis, nós deveríamos nos preocupar. Agora mesmo, o FBI está tentando forçar a Google a ceder informações confidenciais de usuários para serem usadas em investigações sem autorização judicial.

Enquanto escrevia esse artigo, o escândalo PRISM explodiu, o qual parece confirmar os nossos piores medos sobre a extensão do estado vigilante. No geral, p estado provavelmente pode encontrar uma forma de ler os seus e-mails. Tecnologias como o GPG existem, permitindo às pessoas criptografar suas mensagens de e-mail, no entanto, essa abordagem ainda não torna anônimo quem envia e quem recebe tais mensagens. Pode-se fazer com que a informação seja mais difícil de ser acessada através do uso de provedores de e-mail anônimos, mas do ponto de vista da privacidade, o e-mail parece “quebrável” de um modo que não teríamos solução.

O Bitmessage (pdf) foi desenvolvido para resolver essas problemas. Bitmessage é um sistema de mensagens criptografado, peer-to-peer, informal, decentralizado e de código aberto que pode ser usado da mesma forma que um usuário utiliza um e-mail. A entrega da mensagem não depende de nenhum servidor central, e toda a informação da mensagem – incluindo quem envia e quem recebe – é criptografado automaticamente.

Atualmente, um pacote de instalação do Bitmessage existe somente para Windows. Uma versão para o OSX está sendo desenvolvida, assim como uma ambientação para o Android, o qual seria de interesse particular dos manifestantes que precisam ficar conectados.

Curiosamente, o Bitmessage é baseado na tecnologia por trás do Bitcoin. Enquanto o Bitcoin é relativamente jovem, o Bitmessage é mais jovem ainda. Ele ainda requer uma auditoria de segurança detalhada, então, ainda estamos por saber se sua promessa virará realidade. Se assim for, ele complementará perfeitamente o Bitcoin. Essa dupla permitirá às pessoas realizar suas transações comerciais e comunicação da forma que desejarem.

Meshnet

Ambos, o Bitcoin e o Bitmessage, confiam no acesso à Internet para funcionar, e apesar dos valentes esforços dos apoiadores em criar redes ad hoc para os manifestantes, com frequência, ainda está dentro do poderes estatais impedir o acesso confiável à internet para muitas pessoas. A terceira tecnologia emergente importante aqui é o Meshnet. O Meshnet é um projeto grátis, de código aberto que foca no fornecimento de um robusto acesso à rede frente às tentativas deliberadas das “autoridades” restringirem o acesso à Internet e censurarem a liberdade de expressão na rede.

Meshnet funciona através da criação dinâmica de redes sob roteadores sem fio. Cada roteador torna-se um nó na rede, estabelecendo a conectividade com outros roteadores na sua vizinhança. Tais redes frequentemente incluem conexões à internet por meio de, pelo menos, um nó, efetivamente permitindo a todos os nós participantes o acesso à Internet.

A diferença chave entre o ponto de acesso sem fio e o Meshnet é que a informação pode ser solicitada a um PC que está muito distante do PC fonte para ter uma conexão sem fio direta. A aplicação Mesh permite que a solicitação de um computador “salte” de um nó Meshnet para outro nó Meshnet até chegar ao computador com a informação. O computador com os dados requisitados então os envia de volta ao computador fonte que os solicitou “saltando” de nó em nó. Nesse caso, o nó meshnet pode ser um PC ou um roteador sem fio com o software meshnet.

Se a reforma do estado não for uma opção viável no longo prazo, nós deveríamos considerar a forma pela qual a tecnologia está ajudando as pessoas a praticarem o agorismo e escaparem das restrições que o estado tenta impor.

  • O uso do Bitcoin retira o controle da oferta de moeda das mãos do Estado e dos bancos e dificulta o monitoramento estatal das transações dos cidadãos.
  • O uso do Bitmessage remove a habilidade estatal tanto de espionar como de pressionar terceiros (como, por exemplo, provedores de internet) a ceder detalhes de nossas comunicações (e-mails, chats, etc)
  • Meshnet dificulta a intromissão do estado no acesso à Internet ou a sua intromissão na atividade online.

Nas palavras de Satoshi Nakamoto, o pseudônimo do criador do Bitcoin: “[Nós podemos não encontrar uma solução para os problemas políticos na criptografia], mas podemos ganhar uma batalha importante na corrida armamentista e ganhar novos territórios de liberdade por muitos anos”.

Quem sabe o que podemos conquistar nos próximos anos?

Veja também

Agorismo e Nazismo: um estudo sobre opostos

 

// Tradução de Matheus Pacini | Artigo Original


Sobre o autor

Tomasz Kaye

Músico, propagandista, anarquista de mercado, e pregador do bitcoin. Artista ele é o criador de animações como "Jorge deve ajudar?" e "Edgar, o explorador".



Voltar ao Topo ↑