Objetivismo atlas-blue1

Publicado em 15 de novembro de 2011 | por Guilherme Inojosa

O que é Objetivismo?

Minha filosofia, em essência, é o conceito do homem como um ser heróico, cuja própria felicidade é o proposito de sua vida, com a produtividade como sua atividade mais nobre, e a razão como seu único absoluto – Ayn Rand

Objetivismo foi uma filosofia de base Aristotélica fundada pela filósofa e romancista russo-americana Ayn Rand. Esta evocava a razão como base de toda a sua filosofia, advogando que o ser humano era dotado de capacidade racional e deveria observar o mundo através do único meio possível de fazê-lo: A lógica.

Este complexo filosófico é sustentando por cinco pilares:

Metafísica: Realidade Objetiva

A realidade existe, independente de se o ser humano a percebe ou não. Este é o princípio básico para poder construir todo o restante da teoria. Conseqüentemente, a existência é um fato auto-evidente e que diferencia algo que faz parte do mundo físico do nada.

Os objetivistas em nenhum momento se propuseram a provar que a realidade existe, pelo fato de essa ser uma situação filosófica que jamais poderá ser de fato provada, apesar de ser considerado como verdadeiro pela maior parte da filosofia moderna, sendo assim um Axioma.

Epistemologia: Razão

Todo conhecimento é baseado na percepção. O ser humano ao observar a realidade a sua volta e construir conhecimento a partir do que é visto, verifica padrões a partir dessa observação. A razão é assim a capacidade de identificar e integrar o material provido pelos sentidos do homem.

Essa epistemologia objetivista é compatível com o fato de os humanos possuírem conhecimento limitado e nem sempre poderem entender todas as implicações do conhecimento. Uma pessoa só pode ter certeza de uma proposição caso possua evidência na realidade que ela é verdadeira.

Ética: Auto-interesse

Devido ao fato de o homem ser um animal racional, apenas ele consegue saber o que é melhor para si próprio. O direito fundamental é o de viver e poder buscar a sua própria felicidade e esse é o princípio fundamental da vida.

Um indivíduo, conseqüentemente, é um fim em si próprio e não um inseto cujo objetivo é satisfazer a existência de outra pessoa. A individualidade é o princípio fundamental da própria existência.

Política: Liberalismo e Capitalismo

O uso da força neutraliza a razão humana.

Os objetivistas são, portanto, contra o abuso estatal nas liberdades de qualquer indivíduo e politicamente encontram-se distante de qualquer outro espectro político que considere que o uso estatal é desejável para coibir determinada conduta.

O único sistema compatível com essa doutrina é o Capitalismo, por ser baseado em trocas voluntárias entre pessoas com o objetivo de, através delas, melhorarem sua situação. Nenhum outro arranjo é compatível, pois para eles existirem é necessário o uso de força.

Estética: Juízo de Valor Metafísico

A arte é uma recriação da realidade de acordo com determinado juízo de valor.  Ou seja, de acordo com o que o autor considera que é importante e verdadeiro sobre a natureza da realidade humana.

O desejo humano pela arte reside em uma necessidade de economia cognitiva. Pois o ser-humano precisa de um quadro compreensivo para guiar sua vida e a arte consegue cumprir este objetivo através de uma forma fácil de comunicação e de entender determinados conceitos. Toda arte, portanto, é a emissão de um juízo de valor.

Entretanto, a arte não é propagandista. O objetivo dela é apenas de projetar certa visão de mundo, não de educar uma pessoa a seguí-la.


Sobre o autor

Guilherme Inojosa

Guilherme Inojosa é estudante de Direito na Faculdade Integrada Tiradentes, em Maceió.



Voltar ao Topo ↑