Países Nórdicos norwaymiracle

Publicado em 6 de janeiro de 2013 | por Randall Hoven

O milagre norueguês

Os estatistas amam a Noruega (por exemplo, leia isto). Primeiro, é um país europeu. Segundo, é um país social-democrata; concede o Prêmio Nobel da Paz. Terceiro, é considerado um estado de bem-estar social, talvez até um socialista. Em 2011, sua arrecadação com impostos foi de 57% do PIB, a maior de todas as economias desenvolvidas.

E quarto, e o que os estatistas realmente amam, o país ganha dos EUA em várias categorias econômicas. Na verdade, a Noruega é um dos países mais ricos do mundo. Seu PIB per capita foi 10% maior que o dos EUA em 2011. Sua dívida governamental líquida foi de – 168% do PIB. Isto é, é um dos poucos países que não teve dívida líquida, mas sim um grande superávit.

(Aliás, eu achei os seguintes dados engraçados. Em 2011, a dívida líquida do governo da Grécia foi de cerca de 430 bilhões de dólares. O superávit da Noruega foi de aproximadamente 745 bilhões de dólares. Se a Noruega pegasse simplesmente metade de todo o seu superávit e desse para a Grécia, a Grécia estaria totalmente resgatada da dívida! Ainda assim, a União Europeia está insistindo que a endividada Alemanha, cuja dívida líquida é de 56% do PIB, lide com o problema. A Noruega teve o bom senso de se manter fora da União Europeia).

Mas voltando à razão pela qual os estatistas amam a Noruega, também é porque eles podem utilizá-la como argumento contra seus oponentes políticos. É um estado com altos impostos, mesmo assim mais rico que os EUA. E desde 1990, sua economia cresceu tão rapidamente quanto a dos EUA. Ainda assim não tem dívida, mas um superávit. “Todos os seus argumentos de livre mercado estão destruídos!”.

Deixem-me mostrar a realidade. Primeiro, a população da Noruega é de aproximadamente 4,7 milhões, ou cerca da população do estado da Carolina do Sul, ou um pouco mais que a cidade de New York. Sua população é ao menos 98% branca, e quase toda de noruegueses. Também é 90% cristã. E cerca de 4 de 5 noruegueses vivem em cidades, com quase 1 em 5 vivendo em Oslo, a capital.

A Noruega pode ser estatista, mas não é diversa (os EUA, para comparação, são 80% branco e 70% cristão. Então, a razão de brancos em relação às minorias é de 4 por 1. Na Noruega, essa razão está de 50 para 1).

Mas talvez os dois gráficos abaixo possam nos dar algum insight sobre o sucesso econômico da Noruega.

Produção de petróleo bruto da Noruega

Fonte: Departamento de Energia dos EUA.

Preço do petróleo bruto

Fonte: Departamento de Energia dos EUA.

Acontece que o sucesso da Noruega nas décadas recentes coincidiu perfeitamente com duas explosões: a produção de petróleo bruto do Mar do Norte e os preços do petróleo.

Chamar a Noruega de Arábia Saudita da Europa seria um insulto. A Arábia Saudita tem produzido cerca de 125 barris de petróleo por ano por pessoa. A Noruega produziu entre 135 e 250 barris por ano por pessoa de 2001 até 2011.

Mesmo em escalas absolutas, a Noruega é uma grande exportadora de petróleo. Na verdade, é a quinta maior exportadora de petróleo no mundo. Maior que o Iraque. E o Canadá. E os EUA e a Venezuela. Está atrás somente da Arábia Saudita, Rússia, Irã e os Emirados Árabes Unidos. E lembre-se, sua população total é cerca da mesma que a segunda maior cidade da Arábia Saudita, Jedah.

Multiplique essas taxas recentes de produção pelo preço do petróleo, e você tem cerca de 6.250 dólares por pessoa por ano em 2001, e 13.500 dólares em 2011. O petróleo tem feito muito, muito bem para a Noruega.

E de onde a boa estatista Noruega obtém esse petróleo? Da perfuração nos oceanos. A maior parte do petróleo da Noruega foi retirada do Mar do Norte. Você sabe, em alto mar, como os EUA costumavam fazer no Golfo do México, mas não farão igual no Pacífico ou na costa Atlântica.

Aqui vai outra: A emissão de CO2 de combustíveis fósseis. De 1990 a 2009, a emissão dos EUA aumentou 6,7%. A da Noruega aumentou 31,9%.

Eu acho que a Noruega é o Bono dos países. Costuma discursar para o resto do mundo como ser bons cidadãos. Enquanto isso faz dinheiro sendo um dos maiores exportadores de petróleo. Perfurando-o no oceano. Vendendo-o. É dona de uma grande companhia petrolífera. Aumenta sua emissão de carbono enquanto o resto da Europa diminui.

E aqui vai outro pequeno segredo sobre a Noruega. Falando em termos relativos, ela não é tão socialista assim. Em 2008, todo o governo da Noruega gastou 39,8% do PIB. Ao mesmo tempo, o “capitalista” EUA gastou 39,2%, aproximadamente o mesmo. (A França gastou 53,3% neste período).

Na verdade, a Noruega tem cortado o tamanho de seu governo: de um alto gasto de 51,6% do PIB em 1992 para um menor gasto de 39,8% em 2008. Este foi uma grande corte, aproximadamente equivalente ao corte pela metade do gasto federal dos EUA.

Mais um pequeno toque: o sistema de impostos da Noruega é regressivo, não progressivo. Os tops 10% produzem 28,9% da renda, mas pagam somente 27,4% de impostos! Os EUA tem a maior estrutura de imposto progressivo das economias desenvolvidas, em que os top 10% produzem 33,5% da renda, mas pagam 45,1% de impostos.

Os adoradores da Noruega estatista não gostam de propagandear estas partes da política norueguesa: diminuição do governo, impostos regressivos (nem mesmos fixos), ser um dos grandes exportadores de petróleo.

Então a história de que a Noruega é algum tipo de grande estado socialista e mesmo assim sua economia está indo muito bem. Deixe-me separar os pontos principais da Noruega e seu progresso econômico:

Uma população pequena, homogênea;

  • Perfurar seu oceano por petróleo para se tornar um dos grandes exportadores de petróleo do planeta, e o maior per capita, tudo isso em um tempo em que os preços do petróleo quintuplicaram;
  • Deixar suas emissões de carbono crescer com uma das maiores taxas da Europa, uma taxa quase cinco vezes mais rápida que a dos EUA;
  • Diminuir seu gasto governamental, o equivalente ao corte do governo federal dos EUA pela metade dentro de um período de 16 anos. Diminuir seu gasto governamental para próximo ao registrado pelos EUA, e menor que a maioria da Europa;
  • Um sistema de impostos que mais plano do que fixo; é regressivo – os ricos pagam menos que os não-ricos.
  • E enquanto o governo dos EUA está “investindo” em trens de alta velocidade, energia solar, energia eólica, etc., veja só o site da Statoil para ver onde a Noruega coloca seu dinheiro (a Noruega é dona de 67% das ações da Statoil).

Estou convencido. Vamos imitar a Noruega.

Notas:

Nota sobre as fontes: A maioria dos dados acima foram tirados de uma das duas fontes: a CIA World Factbook ou o World Economic Outlook Database do FMI de Abril de 2012. Sinta-se livre para checar os números.

Tradução de Robson da Silva. Revisão de Matheus Pacini.

Artigo original: http://www.americanthinker.com/2012/07/the_norwegian_miracle.html


Sobre o autor



Voltar ao Topo ↑