America Latina bandeira da argentina

Publicado em 14 de novembro de 2014 | por Guillermo Sanchez

A Era Relativamente Liberal na Argentina

Mais uma vez, usando as boas fontes de Orlando Ferreres, vou comparar três períodos da história argentina, como já fiz com os EUA. Dessa vez as eras são: 1) O Período Liberal que vai de 1880, quando o Estado era relativamente mínimo, até 1913; 2) O Intervencionismo Peronista-Militar, que vai desde o ano de 1946, em que Juan Domingo Perón assumiu a presidência, até 1982, quando os últimos militares se retiraram com o fracasso das Malvinas. Toda essa era esteve caracterizada por um intervencionismo enorme e sempre crescente, não importando se este era levado a cabo de maneira democrática ou imposto, afinal a essência do intervencionismo não muda por conta da forma de governo que o aplique; 3) A era Democrática Continuada que são os 26 anos consecutivos de democracia entre 1983 e 2009. A mesma também esteve caracterizada por um feroz intervencionismo.

Esclarecimento: Esta é uma divisão temporal, não uma estritamente conceitual. A época de 1880-1913 teve um grau de intervenção estatal e protecionismo. Porém, em termos relativos ao que veio depois, o fim do século XIX e começo do XX foi uma época liberal com um estado pequeno (sempre comparando-o ao posterior). O mesmo vale para o período de 1946-1982. Poderão me acusar de colocar no mesmo saco governos democráticos com militares. Contudo, ambas formas de governo aumentaram a regulação e intervenção do estado, essa característica essencial é compartilhada. Aliás, há que se levar em conta que o intervencionismo vinha aumentando desde a Primeira Guerra Mundial e em especial desde 1930. Portanto, chamá-lo de período intervencionista é correto. Presumo que não possuam críticas por agrupar o período de 1983-2009 e denominá-lo democrático.

Gasto total da Administração Públical Nacional do PIB Argentina

O gasto público é composto pelo 1) gasto da administração nacional, 2) das províncias, 3) dos municípios, 4) da seguridade social e 5) das empresas estatais que, como vimos, caso sempre são deficitárias. Até o final do século XIX, e desde 1810, Ferreres nos mostra que só dispomos de dados do gastos da administração nacional, que na realidade era a única importante naqueles anos. Podemos ver que o tamanho do estado em relação a economia (Gasto Público/PIB) era bastante pequeno entre 1880 e 1920 que nos anos seguintes. A intervenção e o peso do estado entre 1880 e 1913 era muito menor que nos períodos posteriores.

PIB real argentina em três períodos

Para obter os gráficos com todos os dados coletados por Ferreres do PIB (e outras muitas variáveis) desde 1810 até 2009, devem comprar o livro. Contudo, na internet essa informação está disponível no banco de dados da ANAV (Academia Nacional de Agronomia y Veterinaria). O PIB, com base na correção monetária de 93, aumentou 683% entre 1880 e 1913. O PIB real se multiplicou quase que por 8! Uma cifra descomunal, sobretudo em comparação com o intervencionismo estatal do pós-guerra que apenas o aumento em 183%. Na época democrática está num distante terceiro lugar com somente 79%. Somem a isto a mentira totalmente ridícula do atual governo kirchenerista sobre o “maior crescimento da história”.

PIB per capital

O PIB real por habitante cresceu em 163% na era liberal. Ou seja, o PIB per capita se multiplicou por dois e meio. Em porcentagem é mais do dobro que com o intervencionismo estatal, o qual só conseguiu aumentar em 53%. Na democracia atingiu 31%. Mais abaixo está o aumento da população por períodos e verão que os 163% possuem ainda mais mérito.

Indústria argentina em três períodos

O setor industrial manufatureiro do PIB, sob os valores de 93, aumentou como nunca antes, impressionante 1193% entre 1880 e 1913. O componente industrial do PIB real se multiplicou por quase 13. Não deveria estranharmos, dado que foi então que ocorreu a verdadeira industrialização argentina. Deixando em um aleijadíssimo segundo lugar a época intervencionista com 202%. Apesar da substituição por importações, apesar do protecionismo, apesar do apoio estatal, o paternalismo estatal não pode competir com a era clássica. E pior ainda foi a época democrática, em terceiro lugar com somente um aumento de 44%. A era peronista “pura” (1946-1955) aumentou a industria só em 41%.

População argentina variação porcentual

A população triplicou desde o fim do século XX e começo do XX, devido em grande parte a imigração. Muito mais que durante as eras do estado “paternalista” seguintes. Ainda que com esse aumento populacional enorme, o PIB per capita se duplicou.

Salário real argentina

Salário real argentina base 100

O salário real dos trabalhadores aumento em 82% entre 1882 e 1913. Amplamente superior, de longe, que o intervencionismo estatal peronista-militar do pós-guerra. Nem se fala do período democrático onde quase não aumentou. E se há algum peronista que leu isto e não deseja que um intervencionista como Perón fique no mesmo saco que os demais intervencionistas militares-radicais (que queriam ser como o general), deve saber que o salário real aumentou entre 1946 e 1955 cerca de 39%.

Esperança de vida ao nascer argentina série histórica

A expectativa de vida ao nascer passou de quase 33 anos em 1869 até 48 e meio em 1914, um aumento de 47%. Enquanto que em 1947 era 61 anos e subiu até 70 em 1980, cerca de 15%. Na era democrática passou de 71 anos em 1985 a 75 e meio em 2008.

taxa de analfabetismo

A taxa de analfabetismo total diminuiu muito mais durante a era liberal que durante as outras duas.

taxa de crescimento anual segundo variável argentina

Se calcularmos a taxa de crescimento anual composta pelas variáveis mais importantes, observamos que a era liberal argentina ganha comodamente de todas. O estatismo, ao menos nos números apresentados até aqui, se mostra sumariamente inferior a época menos estatista da história argentina.

// Tradução de Adriel Santana. Revisão Ivanildo Terceiro. | Artigo Original


Sobre o autor



Voltar ao Topo ↑