Anarcocapitalismo Smart Cities

Publicado em 16 de março de 2014 | por Austroanarquistas

Cidadelas e Condomínios como Modelos para Comunidades Anarquistas

anarquismo heathiano é uma forma de anarcocapitalismo baseada na ideia de uma comunidade voluntária. Foi criada pelo dissidente do georgismo Spencer Heath (1876-1963) e apresentada em seu livro “Citadel, Market and Altar” (1957). O neto de Heath, Spencer MacCallum popularizou a ideia e a expôs em sua obra “The Art of Community” (1970).[1]

“O objetivo heathiano é que as cidades e grandes áreas de terra sejam propriedades particulares de empresas privadas, que possuirão e alugarão a terra, urbanizado a zona habitacional, oferecendo todos os “serviços públicos” possíveis: polícia, bombeiros, estradas, tribunais etc, de forma voluntária mediante o pagamento de um aluguel. Heathianismo é o Georgismo de Henry virado de ponta cabeça; como George, Heath e MacCallum proveriam todos os serviços públicos mediante um aluguel; Mas diferente de George, o aluguel seria coletado, e o terreno da propriedade, pelos proprietários das empresas privadas e não pelo governo e, portanto, o pagamento seria voluntário, e não coercitivo. A “comunidade proprietária” heathiana está, evidentemente, em contrariedade com a desalinhada comuna igualitária sonhada pelos anarquistas de esquerda.” - Murray Rothbard, “Fall Reading”, The Libertarian Forum, Vol. II #18, September 15, 1970

O modelo de anarquismo heathiano tem como inspiração as “propriedades de multi-proprietários”, como hotéis, centros comerciais, parques industriais e edifícios com apartamentos. As propriedades de multi-proprietários são o oposto da venda tradicional dos bens imóveis; os donos das propriedades as alugam ao invés de vendê-las, e, portanto, se encarregam de prestar serviços a comunidade para manter a renda do aluguel e o valor da terra. Spencer MacCallum oferece três argumentos em favor da superioridade desse modelo de arrendamento heathiano frente ao modelo de divisão da terra numa comunidade libertária: autonomia individual, oportunidade empresarial, e qualidade de vida da comunidade.[2]

O anarquismo heathiano tem sido o modelo para um “país novo”, de projetos como o “Atlantis Project”. Enquanto a maioria dos anarcocapitalistas vislumbram um cenário “migratório” de proprietários individuais, os heathianos sugerem que a maneira mais prática de criar um enclave libertário é utilizar a propriedade por arrendamento no lugar de uma propriedade vitalícia. Assinalam que as moradias privadas individuais são algo novo historicamente, e vem uma tendência evolutiva para o tipo de propriedade por arrendamento. O termo “propriedade aberta de multi-proprietários” e a existência de centros comerciais são um fenômeno dos últimos 50 anos. Os heathianos em geral pensam que o enfoque na propriedade de multi-proprietários, com o tempo, evoluirá para oferecer mais serviços públicos tradicionais como água, rede de esgoto, manutenção das ruas dos governos municipais. Eles veem o proprietário heathiano como a proteção da pessoa das distintas fontes de agressão: as criminais e as estatais. Empresas de manutenção de propriedades podem competir com o bem, podendo proteger seus inquilinos da delinquência e dos impostos, uma melhoria em comparação com o monopólio do governo.

O anarquismo heathiano se diferencia do modelo padrão de anarcocapitalismo de agências de defesa privada, que prevê a competência de organismos de segurança dentro da mesma zona geográfica, ao invés de uma zona por propriedade.

 

NOTAS

[1] Rothbard, Murray (September 15, 1970). «Fall Reading». The Libertarian Forum II (18). «The Art of Community … é a primeira apresentação sistemática publicada do que se poderia chamar de a variante “heathiana” do anarquismo.

[2] MacCallum, Spencer H. (Summer 2001). «Land Policy and the Open Community: The Anarchist Case for Land-Leasing versus Subdivision». Formulations (Libertarian Nation Foundation) (29)

 

// Traduzido e revisado por Adriel Santana. | Artigo original aqui.


Sobre o autor

Austroanarquistas

Austroanarquistas é um site anarcocapitalista. Defende por meios de seus artigos a Escola Austríaca, um governo voluntário e leis privadas.



Voltar ao Topo ↑