Inovação & PI moeda de bitcoin

Publicado em 16 de abril de 2014 | por Jeffrey Tucker

Bitcoin para iniciantes

Entender o Bitcoin exige que tenhamos noção de até onde podemos visualizar o futuro que o mercado pode nos criar. Há 30 anos, por exemplo, se alguém tivesse dito que as mensagens eletrônicas – dígitos voando pelos ares, aterrissando em caixas de e-mail personalizadas que podemos verificar a qualquer hora do dia ou da noite – iriam em algum momento substituir as cartas tradicionais, você poderia ter dito que isso era impossível. Afinal, nem mesmo os Jetsons tinham e-mail. Elroy levava bilhetes de sua professora para casa em pedaços de papel. Ainda assim, o e-mail substituiu em grande parte as correspondências, assim como o SMS, as redes sociais, as mensagens privadas, e até mesmo os sistemas de voz (Skype, Google Hangout) estão substituindo o telefone tradicional.

No fim das contas, é difícil imaginar como será o futuro, especialmente quando os empreendedores especializam-se em nos surpreender com inovações. Os mercados estão sempre andando mais rápido que os sonhos dos sonhadores mais espertos, e eles são certamente mais espertos do que o intelectual que continua a dizer: isso ou aquilo não acontecerá. Hoje acontece o mesmo. E se eu dissesse que a moeda digital poderia eventualmente substituir o papel moeda governamental? Deus sabe como nós precisamos de uma alternativa.

Resolvendo problemas, um byte por vez

Nos tempos modernos, a moeda começou como ouro e prata e era controlado pelos seus proprietários e usuários. Então, os políticos assumiram seu controle e veja o que fizeram. Hoje, a moeda não tem lastros e seu valor está sujeito aos caprichos dos planejadores centrais, políticos e burocratas da política monetária. Esse sistema não é muito moderno quando consideramos um mundo no qual o mercado está propondo inovações em outros aspectos de nossa vida cotidiana.

Talvez fosse apenas uma questão de tempo. É impossível negar sua praticidade: os gamers precisavam de alguma moeda que pudessem utilizar nas trocas. Bens digitais necessitavam ser comprados e vendidos. A moeda estava também se tornando mais e mais virtual (digital), com transferências bancárias, sistemas bancários virtuais, redes de cartões de crédito servindo para mover o “dinheiro” ao redor do mundo. O mundo em si estava gradualmente migrando para a esfera digital, mas a moeda convencional estava presa ao chão, aos cofres controlados e possuídos por governos.

Os nerds puseram a mão na massa na década de 1990 e desenvolveram uma série de protótipos – Ecash, bitgold, RPOW, b-money – mas todos fracassaram pela mesma razão: sua oferta não podia ser limitada e ninguém conseguia descobrir como tornar impossível que a mesma quantia fosse gasta duas, três ou n vezes. Normalmente, a reprodutibilidade é algo maravilhoso. Você pode me enviar uma imagem e ainda manter a sua cópia. Você pode me enviar uma música e não perder o controle do arquivo original. A Internet possibilitou a cópia infinita, o que é algo maravilhoso para a mídia, textos e – com a tecnologia da impressão 3D – até mesmo objetos. No entanto, a reprodutibilidade não é uma característica que beneficia um meio de troca.

Afinal, uma moeda é inútil a menos que seja escassa e sua replicação cuidadosamente controlada. Pense no padrão ouro. Existe uma quantia fixa de ouro no mundo, e entra na vida econômica somente por meio do trabalho duro e gastos reais. O ouro necessita ser escavado. Todo quantia em ouro é intercambiável por outra quantia igual de ouro, mas se eu sou dono de uma onça, você não pode ser dono dela ao mesmo tempo que eu. Como tal sistema pode ser replicado na esfera digital? Como você pode atribuir um título de propriedade a um bem digital fungível e assegurar que esses títulos estejam absolutamente ligados à propriedade em questão?

Siga o dinheiro

Finalmente, aconteceu. Em 2008, uma pessoa que se identificou como “Satoshi Nakamoto” criou o Bitcoin. Ele não foi o primeiro a resolver o problema do gasto duplo. Uma moeda chamada e-gold logrou tal feito, mas a falha era que existia uma entidade central no controle na qual os usuários tinham de confiar. O Bitcoin removeu essa falha permitindo aos próprios mineradores constantemente validar o histórico de transações. Ele permitiu a cada usuário baixar a razão (documento que detalha todas as transações) completa de todos os Bitcoins existentes de forma que cada um  poderia ser verificado no que tange ao seu título, não sendo usado mais do que uma vez ao mesmo tempo. Com seu sistema, toda moeda tinha seu proprietário, e ele não poderia ser manipulado.

Além disso, Nakamoto construiu um sistema de mineração que tenta replica a experiência do padrão ouro. As equações matemáticos que você precisa resolver tornam-se mais difíceis com o passar do tempo. Foi fácil para os primeiros criadores, assim como foi para os primeiros garimpeiros que podiam conseguir ouro nos rios, embora, após eles tiveram que começar a minerar profundamente em montanhas. Nakamoto impôs um limite no número de moedas que podem ser mineradas (Até 2140 serão 21 milhões). (Uma nova moeda é atualmente minerada a cada 20 segundos, mais ou menos, e uma transação acontece a cada segundo).

Ele escreveu um código totalmente aberto e disponível para qualquer um, de forma que pudesse ser confiável. E o sistema de pagamento usa a forma mais avançada de criptografia, com chaves públicas visíveis para todos e um sistema de embaralhamento que torna sua conexão à chave privada impossível de se descobrir.

Ninguém manda no sistema; todo mundo manda no sistema. Isso é o que significa ser de código aberto, e é a mesma dinâmica que tornou o WordPress muito influente na comunidade do software. Não haveria necessidade de um movimento Audite o Bitcoin! [N.R.: Uma analogia ao movimento liderado por Ron Paul para auditar o Banco Central americano]. Confiança, anonimato, velocidade, respeito pelos direitos de propriedade, e a possibilidade que aplicativos fossem construídos utilizando-se da infraestrutura original tornaram o Bitcoin perfeito.

O Bitcoin foi lançado em 01/11/2008. Para apreciar realmente a importância dessa questão, considere o dia do lançamento. Todas as autoridades políticas e financeiras estavam dominadas pelo pânico. O mercado imobiliário tinha entrado em colapso, prejudicando diretamente o balanço financeiro dos maiores bancos. Os bancos de investimento estavam despejando no mercado títulos lastreados em hipotecas em um ritmo sem precedentes. Barcos que estavam entregando mercadorias não podiam deixar a costa porque não encontravam financiadores para seus títulos de seguros. Por um momento, parecia que o mundo estava chegando ao fim. Os republicanos eram maioria na Casa Branca, mas o impensável mesmo assim aconteceu: o governo e os bancos centrais decidiram tentar um resgate do sistema financeiro em grande escala, gastando e criando trilhões de cédulas para abastecer os cofres dos bancos.

Claramente, o papel moeda governamental estava fracassando. Uma alternativa digital tinha que existir. No entanto, o que concedeu ‘valor’ ao Bitcoin? Existem diversos fatores. Não era atrelado a nenhuma moeda existente, então poderia flutuar de acordo com a valoração humana. E enquanto 1s e 0s podem ser reproduzidos infinitamente, as novas moedas não poderiam, graças a um sistema no qual a moeda e sua chave pública eram estritamente controladas e a razão atualizada para todas as transações. Sua integridade (solidez) poderia ser verificada constantemente por meio da conversão instantânea a outras moedas ou a bens e serviços. O modelo parecia impenetrável, a primeira moeda digital que realmente tratava os problemas que tinham inviabilizado as tentativas anteriores.

carteira de bitcoins do jeffrey tuckerUm Bitcoin por iniciativa própria

Vamos avançar no tempo até março de 2013. Eu tinha me tornado um orgulhoso proprietário de meu primeiro Bitcoin. Minha “carteira” era meu smartphone. Há três semanas, alguns aplicativos maravilhosos já tinham sido desenvolvidos para facilitar o uso do Bitcoin. Embora goste de tecnologia, eu não sou um cientista e certamente estaria fora do meu alcance o uso dela. Mas é assim que as instituições digitais se desenvolvem para se tornarem, gradualmente, de fácil utilização. No mesmo evento no qual me tornei dono de Bitcoin, eu também usei um ATM de Bitcoin. Eu depositei dólares, coloquei meu celular ao alcance do sensor, e senti a vibração nele. O físico tornou-se digital. Lindo!

Contudo, ainda não sabia exatamente o que poderia fazer com ele. Foi quando o mundo do consumidor dos produtos do Bitcoin apareceu diante de mim. Não estamos falando somente do Silk Road – um website que se tornou conhecido por permitir compra e venda anônima e fácil de drogas. Existem lojas que aceitam Bitcoins por todos os lados. E existem serviços que permitem a compra em qualquer site com interface Bitcoin. Além disso, existem boatos de mercados futuros de Bitcoin. Existem rumores de que algumas companhias ofertariam suas ações publicamente em Bitcoins, passando por cima de todas as regulamentações da SEC (A Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos). As implicações são surpreendentes.

Alicates sagrados

Ainda assim, eu sou um cara palpável. Eu gosto de experimentar as coisas. Então, acessei um desses sites. Eu comprei o primeiro produto que vi (Por quê? Não sei). Era um par de alicates para ondular cabos elétricos. Eu adicionei meu endereço e logo o sistema gerou uma cobrança. Era o momento pelo qual esperava. Um código QR – aquele quadrado engraçado que parece um código de barras 3D – apareceu na tela. Eu foquei a câmera de meu celular no desenho e ela o escaneou. Em menos de dois segundos, tudo estava acabado. Foi mais fácil do que o sistema de pedidos One-click da Amazon. Meu coração acelerou. Eu saltei de minha cadeira, cantarolei e dancei ao redor do quarto. De alguma forma, pela primeira vez eu tinha visto o que seria o futuro.

Os alicates chegaram dois dias depois, e mesmo sem usá-los, eu ainda os estimo.

Bitcoins já vinham se destacando quando a surpreendente crise no Chipre tomou grandes proporções. O governo falava em assumir o controle dos depósitos bancários como forma de salvar o sistema. Durante esse período, o Bitcoin praticamente dobrou de valor. A imprensa reportou que as pessoas estavam trocando a moeda governamental por Bitcoins, não somente no Chipre, mas também na Espanha, na Itália e em outros lugares. O preço do Bitcoin cotado em dólares subiu consideravelmente.

Outra forma de explicar a questão é que os preços de bens e serviços em termos de Bitcoin estavam caindo. Sim, esse é o tão temido fenômeno que os economistas que estão no mainstream chamam de “deflação”. Paul Krugman chegou ao ponto de dizer que a pior coisa acerca do Bitcoin é que as pessoas poupam ao invés de gastá-los, dessa forma replicando essa característica do padrão ouro que ele odeia acima de tudo! Ele poderia ter dado aval total ao sistema, no meu ponto de vista.

Obsessão e Ressentimento

Minha experiência com o Bitcoin durante esse tempo se intensificou. Eu comecei a chamar meus amigos no Skype e escanear seus códigos QR e trocar moedas. Eu comecei a usar minhas experiências com Bitocins para atrair outras pessoas: você tem que ser dono para acreditar. Depois de um dia totalmente dedicado a comprar, vender e usar Bitcoins, eu tive raiva por ter de pagar o táxi em dólares.

Como você compra? Esse processo pode ser um pouco complicado. Você pode verificar o site localbitcoins.com e encontrar uma pessoa da mesma cidade com a qual trocar dinheiro por Bitcoins. Normalmente, essa troca ocorre com ágios consideráveis de 10% a 50% dependendo da competitividade do mercado local. É compreensível a relutância das pessoas com relação a essas operações, não importando quão seguras sejam. Existe algo de estranho e incomum em encontrar uma pessoa em um café no final da noite para negociar uma moeda digital.

Um caminho mais fácil é visitar os diversos sites de venda, colocar sua conta bancária e comprar. Esse processo pode levar alguns dias. E, então, quando você decidir transferir os fundos, você pode se surpreender com os limites que existem nesse mercado atualmente. Sites estão restringindo a venda de Bitcoin baseado na disponibilidade, devido à grande demanda. São necessários 10 dias ou mais para se tornar proprietário da moeda. Mas tão logo que isso acontece, as coisas começam a esquentar. Enviar e receber dinheiro nunca foi tão fácil.

Dúvidas

No momento que esse texto está sendo escrito, o Bitcoin está sendo negociado em US$ 88.249 [Nota do Editor: o preço chegou ao pico de US$ 250 antes de cair para, aproximadamente, US$ 90 no fechamento dessa edição]. Há três anos, girava em torno de U$ 0.14. Muitas pessoas analisam o mercado atual e pensam que, certamente, não passa de uma bolha especulativa. Talvez seja verdade, talvez não. As pessoas estão trocando um papel moeda instável por algo com um título de propriedade real que não pode ser duplicado. Todo mundo sabe precisamente quantos Bitcoins existem a cada momento. Qualquer pessoa pode observar as transações acontecendo em tempo real. O preço do Bitcoin pode subir ou descer, e isso é normal, mas não está ocorrendo nenhum tipo de especulação endógena ao mercado do Bitcoin em si.

É uma pirâmide? A característica principal de um esquema em pirâmide é que mais do que uma pessoa possui o direito de ter o mesmo bem. Isso é fisicamente impossível com o Bitcoin. O programa foi feito sob um regime estrito de propriedade privada sem exceções. Na verdade, no início de março, ocorreu um breve problema com o sistema quando algumas novas moedas foram aprovadas por um grupo de programadores mas não por outro. Uma “bifurcação” apareceu no sistema. O preço começou a cair. Os programadores trabalharam rápido para resolver o problema e eventualmente o sistema – e o preço – retornaram ao normal. Essa é a vantagem de um sistema de código aberto.

Mas o que dizer daquele vago sentimento que algumas pessoas têm de que uma série de códigos, isoladamente, não pode criar uma nova moeda? Bem, se nos recordamos do que nos disse Carl Menger, veremos que esse processo é semelhante àquele que deu origem ao ouro como moeda. Toda nova moeda não é, inicialmente, usada por todos os indivíduos. É inicialmente usada somente “pelos indivíduos economizadores mais perspicazes e capazes”. Seus sucessos são estão emulados por outros. Em outras palavras, o surgimento do dinheiro envolve empreendedorismo – isto é, estar alerta às oportunidades de descobrir e prover algo novo.

Os olhos malignos do Leviatã

E o que dizer de uma repressão governamental? Não há dúvida que tentativas serão feitas. Agências governamentais já estão demonstrando certo nível de preocupação com relação ao que está acontecendo. Contudo, os governos não têm sido capazes de controlar a economia digital. Será infinitamente mais difícil controlar uma moeda virtual sem um banco central, criptografa, e com milhões de usuários por dia. Controlá-la seria impensável.

Houve um tempo quando a ideia de que ebooks substituiria livros físicos era uma noção absurda. Quando eu me deparei com a primeira geração de e-readers, eu dei risada e ridicularizei o produto. Hoje estou procurando um lugar para os meus livros físicos, e adquirindo centenas de ebooks. É assim que os mercados nos surpreendem. A tecnologia sem a planificação central tornam os sonhos realidade.

O Bitcoin pode fracassar. Talvez seja somente a primeira geração. Talvez milhares de pessoas perderão todo o seu dinheiro nessa primeira oportunidade. Mas a digitalização do  dinheiro está chegando com força? Sim. Sempre existirão céticos por aí? Sim. Mas nesse caso, eles não estão no comando. Os mercados farão o seu trabalho, construindo o futuro independente da nossa aprovação ou compreensão. O futuro não será interrompido.

// Tradução de Matheus Pacini. Revisão de Ivanildo Terceiro. | Artigo Original


Sobre o autor

Jeffrey Tucker

É o presidente da Laissez-Faire Books e consultor editorial do mises.org. É também autor dos livros It's a Jetsons World: Private Miracles and Public Crimes e Bourbon for Breakfast: Living Outside the Statist Quo.



Voltar ao Topo ↑