Requerimentos para o anarcocapitalismo

Por David D. Friedman

Três condições são necessárias para o anarcocapitalismo ser um sistema estável e atrativo; duas delas podem já ter sido alcançadas:

  1. Não deve haver nenhum problema de bens públicos no qual a solução privada é catastroficamente inadequada. O candidato óbvio para esse problema é a defesa nacional. Ao contrário de alguns anarquistas (e objetivistas), Eu não penso que que exista um argumento claro que mostra que alguém pode sempre conseguir defesa adequada sem coagir as pessoas a pagarem por isso. Quando Eu escrevi “As Engrenagens da Liberdade”, Eu pensava que esse era o problema mais difícil, e era incerta se uma América anarcocapitalista nos anos de 1970 poderia se defender adequadamente. Desde que a União Soviética convenientemente entrou em colapso, a defesa nacional se tornou um problema fácil de resolver.
  2. Economias de escala em execução de leis tem que ser pequenas o suficiente para que o equilíbrio do mercado produza agências de execução de leis suficientes para que um cartel de agências de execução de leis criado para restaurar o governo seja financeiramente instável para seus membros. Creio que essa condição também já foi alcançada.
  3. Deve existir um conjunto de instituições anarcocapitalistas que as pessoas possam utilizar. 

O requerimento 3 parece como um catch-22 (uma situação sem saída); como nós podemos obter tais instituições se nós já temos as atuais? Mas a resposta é que as sociedades evoluem com o tempo.

Meu cenário preferido é um no qual mais e mais ações governamentais sejam privatizadas, seja através de concessão (vouchers pode ser um passo inicial) ou de concorrência (UPS e FedEx). A medida que mais e mais disputas legais são lidadas por arbitragem privada, e mais e mais execução de leis sendo feitas privadamente (ainda com alguma permissão nominal governamental), e o governo ficando mais e mais sem dinheiro (por uma variedade de razões, possivelmente o crescimento do comércio online, no qual é difícil de monitorar, por isso difícil de taxar), as pessoas se acostumem com a ideia de que se você quer seus direitos defendidos de forma competente você deve contratar uma agência de execução privada, se você quer disputas resolvidas nessa década você deve ir para a arbitragem privada (atualmente permitida para muitas disputas comerciais), que você não deve apoiar políticos que querem gastar dinheiro para coisa que você já está pagando ( a atual atitude de pais nos quais os filhos estudam em escolas privadas)... Há outros cenários possíveis, incluindo um contando fortemente com o ciberespaço e a criptografia como as ideias de Tim May.

O ponto básico aqui é que as pessoas em geral são racionalmente conservadores. O que Eu quero dizer é que eles acreditam nas instituições que eles são familiares, da forma que elas funcionam e que eles tem visto por muito tempo. O que Eu quero mudar não é algumas atitudes filosóficas profundas – ao contrário de muitos objetivistas, Eu não penso que a sociedade que Eu vivo é filosoficamente podre no núcleo, nem acho que existe um conjunto de respostas para questões filosóficas e políticas nas quais qualquer pessoa racional, uma vez em contato, deva aceitar. Eu simplesmente quero que sejam utilizadas as instituições que Eu sou em favor, provavelmente um pouco de cada vez – ao ponto que eles vão vê-las como algo dado da forma que eles atualmente veem as eleições e suprema corte.

Tradução de Juliano Torres.


Anarquia Cotidiana

Stefan Molyneux

Clique aqui para ler

As Engrenagens da Liberdade

David D. Friedman

Clique aqui para ler

Teoria do Caos

Robert P. Murphy

Clique aqui para ler

Vícios não são crimes

Lysander Spooner

Clique aqui para ler