Segredos do Capitalismo: o capitalismo melhora nosso meio ambiente

 

Ambientalistas atuais adoram lamentar o estado do meio ambiente. Mas verdade seja dita, o meio ambiente humano nunca esteve tão bom.

A natureza selvagem é brutal, imunda, um lugar perigoso para o ser humano. É repleto de sujeira, doenças, climas não cooperativos, criaturas nada amigáveis, e ocasionais desastres naturais.

Transformar a natureza em um local habitável para a vida humana é um desafio assustador. E não é nenhum acidente, que por maior parte da historia humana, nossa qualidade de vida pairou só levemente acima do nível de subsistência e maioria das pessoas morriam antes dos seus trinta anos.

Foi o capitalismo, o responsável pela revolução industrial, que mudou essa equação. Começando no final do século 19, o ser humano melhorou o seu meio ambiente em incríveis formas.  Foram elas:

  • Emprega energia em escala industrial para desenvolver a natureza em escala sem precedentes;
  • Resolveu o problema de fome, produzindo alimentos em abundancia mesmo com a diminuição de pessoas trabalhando no setor alimentício;
  • Criou a medicina moderna, exterminando muitas das doenças que afligiram o homem através da historia;
  • Criou novos modelos de saneamento, incluindo plantas de tratamento de esgoto e água encanada, assim removendo resíduos que lotavam o meio ambiente humano;
  • Inventou novos modelos de transporte, como trens e carros, que eliminou fezes de cavalos pelas ruas, enquanto expandia a facilidade de locação das pessoas;
  • Criou ar-condicionado e aquecedores internos sem emissão de fumaça;
  • E muito, muito mais.

Quais foram os resultados? A população explodiu, a expectativa de vida mais que dobrou, e pela primeira vez na historia cada geração vivia melhor que a sua anterior.

E agora sobre poluição no ar e na água? Primeiro de tudo, a poluição deve ser olhada sobre o contexto maior da nossa necessidade de desenvolver a natureza e de constantemente aprimorar o nosso ambiente. Ambientalistas frequentemente apontam para efeitos colaterais alegados ou reais do progresso industrial e argumentam que a solução para qualquer problema é banir ou restringir o desenvolvimento industrial. Mas isso seria tolo. Nenhuma atividade humana é livre de riscos ou efeitos secundários não desejados. (Deveria o homem pré-histórico banir o fogo por causa da fumaça danosa que produz?) Desenvolvimento industrial nos mantem vivos – o objetivo deve ser minimizar o seus efeitos menos desejados sem cortar os seus benefícios.

Isso dito, algo como poluição aérea é comumente vista como um problema criado pela industrialização capitalista e resolvido somente através de intervenções governamentais. Na verdade, o problema de poluição no ar é tão antigo quanto a historia humana – e é um problema que o capitalismo resolveu quase completamente. Os elementos mais perigosos de poluição no ar são partículas (fumaça e fuligem) e dióxido de enxofre (S02). Em Londres, a área em que há melhor base de dados, esses contaminadores começaram a aumentar ao redor do século 16, alcançando o seu pico no final do século 19. Desde então, contudo, a poluição atmosférica caiu bastante; ao final do século 20, havia menos fumaça, fuligem, e dioxido de enxofre no ar de Londres que em 1585.

O que explica esse declinio? Não poderia ter sido o governo – o British Clean Air Act não foi promulgado até 1956, e estudos demonstram um declínio significativo antes e depois da promulgação do ato. Ao invés, a explicação é a inovação tecnológica – processos de produção mais eficientes produzem poluição cada vez menor. Poluição não é primeiramente um problema politico, mas sim cientifico e tecnológico.

Existe um papel para o governo quando o assunto é poluição – não invadir direitos individuais, mas sim protegê-los. A aplicação de direitos de propriedade para poluição não é nenhuma questão simples, mas o ponto básico é claro: Ninguém tem o direito de causar danos físicos à outra pessoa ou a sua propriedade. Se as emissões de um individuo ou empresa específicos  representam uma ameaça genuína a você, um governo correto irá (sobre as circunstancias corretas) promover uma solução (injunções, danos, etc.).

O capitalismo laissez-faire está preocupado com o constante desenvolvimento do meio ambiente humano. Ele não está, entretanto, preocupado com o meio ambiente não humano – ele não está preocupado em preservar um deserto intocável à custa do ser humano. Se, sob o capitalismo, alguém quiser proteger certo pedaço de terra, ou certa espécie de animal, ele está livre para assim fazer em sua propriedade. Mas ele não pode esperar que o governo sacrifique o bem estar de outros seres humanos pelo bem estar de besouros e plantas.

***

Tradução de Gabriel Tosi. Revisão de Matheus Pacini.

Fonte: http://capitalism.aynrand.org/capitalist-secrets-capitalism-improves-our-environment/


Anarquia Cotidiana

Stefan Molyneux

Clique aqui para ler

As Engrenagens da Liberdade

David D. Friedman

Clique aqui para ler

Teoria do Caos

Robert P. Murphy

Clique aqui para ler

Vícios não são crimes

Lysander Spooner

Clique aqui para ler